Como Pedir Recuperação Judicial - E quem pode? - Damha Filho
Como Pedir Recuperação Judicial?

Em tempos de crise econômica, muito se discute sobre as vantagens da recuperação judicial, que é um procedimento que permite que a empresa reorganize suas finanças, quando chega a um ponto que não consegue mais honrar seus compromissos com os fornecedores porque não consegue gerar lucro suficiente para isso. De fato, se sua empresa está afundada em dívidas, certamente esta se trata de uma solução que parece muito interessante: em linhas gerais, você terá mais tempo para pagar suas dívidas e se reestruturar para não precisar fechar as portas.

Como pedir Recuperação Judicial

Em tempos de crise econômica, muito se discute sobre as vantagens da recuperação judicial, que é um procedimento que permite que a empresa reorganize suas finanças, quando chega a um ponto que não consegue mais honrar seus compromissos com os fornecedores porque não consegue gerar lucro suficiente para isso. De fato, se sua empresa está afundada em dívidas, certamente esta se trata de uma solução que parece muito interessante: em linhas gerais, você terá mais tempo para pagar suas dívidas e se reestruturar para não precisar fechar as portas.

Entretanto, não basta estar em dificuldades financeiras para que você possa pleitear essa ajuda no Judiciário. De fato, somente as empresas que apresentarem um plano de trabalho que o juiz entenda que seja viável é que terão a possibilidade de usufruir dos benefícios do instituto. Ou seja, você deve demonstrar que sabe a extensão do seu problema e que tem a solução necessária para sair dele. Sem isso, não haverá a possibilidade de ingressar com o pedido.

Justamente por isso é que é absolutamente necessário que você busque uma advocacia especializada para te auxiliar a levantar todos os problemas de sua empresa e a elaborar um plano de recuperação que seja rapidamente aceito pelo juiz. Esses profissionais têm prática na realização de auditorias e na elaboração de uma petição inicial que contenha todos os requisitos legais, dentre os quais a exposição das razões pelas quais a empresa se encontra em crise, bem como a juntada de todos os documentos necessários para a aprovação do plano.

O indeferimento do plano de recuperação judicial não é o único prejuízo que pode surgir de uma assessoria jurídica ruim. Se o processo não for inteiramente conduzido de uma forma correta, a empresa em recuperação corre sérios riscos de ter o processo convertido em falência. Isso porque a recuperação judicial traz diversos benefícios, como um prazo maior para pagamento das dívidas por exemplo, mas também possui diversos fatores limitantes, como a limitação de crédito e a dificuldade em efetuar novos contratos, por exemplo. Além disso, estar em um processo de recuperação judicial não proíbe que, em algum momento, você possa passar a responder por atos de falência, caso o plano de recuperação não seja seguido à risca.

Busque uma assessoria especializada

Na realidade, apesar de parecer um processo que traga alívio às contas da empresa, vale lembrar que ainda assim a situação do empresário é delicada. As novas dívidas que forem sendo contraídas, por exemplo, não estarão no plano de recuperação judicial e deverão ser quitadas no prazo. Além disso, é absolutamente necessário que seu advogado tenha o controle da situação e tenha experiência com recuperações judiciais, na medida em que, se os credores rejeitarem o plano de recuperação proposto, o processo será automaticamente convertido em falência. Por isso, é absolutamente importante haver uma negociação prévia com os credores para evitar surpresas no meio do caminho que possam te causar mais problemas do que você já tem.

Ainda, é importante que a orientação do empresário seja feita antes, durante e após o procedimento de recuperação judicial. Quando da auditoria, muitas empresas descobrem dívidas que nem sabiam que possuíam e veem que, na verdade, muitos de seus problemas decorreram da falta de organização e de planejamento. Nesse sentido, é interessante que o plano de recuperação judicial seja montado de forma que não só tire a empresa do sufoco, mas que também permita que ela se mantenha ativa após seu sucesso, lembrando que uma empresa que já teve a recuperação judicial decretada fica impedida de requerê-la novamente pelos cinco anos seguintes.

Temos uma equipe de especialistas pronta para lhe ajudar, entre em contato conosco agora mesmo.

Anderson Andrade – Advogado 

Deixe uma resposta

Anderson Andrade

Anderson Andrade Advogado